terça-feira, 19/11/2019
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » “Imaculada concepção” fala sobre refugiados

“Imaculada concepção” fala sobre refugiados

Essa semana o escritor e jornalista Guilherme Solari lançou na Amazon o seu livro Imaculada Concepção, um e-book independente ambientado em um futuro no qual o hemisfério norte foi destruído por uma guerra nuclear. Milhões de refugiados americanos e europeus fogem então para a megalópole de Megasampa, a expansão urbana formada pelas áreas combinadas de São Paulo e Rio de Janeiro no Brasil do século 22.

Em homenagem ao Dia Mundial do Refugiado, todo o lucro da primeira semana do lançamento do livro será doado para o Adus, o Instituto de Reintegração do Refugiado, entidade que atende expatriados que vem ao Brasil originários da África, Caribe, Oriente Médio e outras localidades. Além de conhecer uma nova e incrível série e prestigiar um autor nacional, você colabora com pessoas que realmente precisam.

Ficção científica

“Eu acredito que mais do que tentar prever o futuro, a ficção científica pode ser usada para tentarmos evitar o futuro,” define Solari. “O discurso do medo, preconceito e xenofobia contra refugiados está muito forte hoje em dia. E os refugiados são pessoas que já sofreram muito, fugindo de guerras e desastres naturais, muitas indo para a cidade de São Paulo, onde moro. Eu quis tentar expor como essa xenofobia faz pouco sentido invertendo os papéis e tornando os ricos de hoje os refugiados de amanhã. E, ao mesmo tempo, escrever um história divertida, de influência pulp, noir e cyberpunk.”

Em Imaculada Concepção, primeira obra da série Cybersampa, uma onda de assassinatos inexplicáveis no gueto do Novo Bronx leva medo à comunidade de estrangeiros. As mortes são atribuídas pelos populares a uma criatura chamada Bebê Diabo, e as autoridades precisam implementar lei marcial para conter os protestos da população. Relutantemente, eles chamam da aposentadoria um homem chamado Cascavel, o único detetive louco o bastante para resolver um caso insano.

A série Cybersampa acontece cem anos no futuro, em uma realidade possível de mudanças climáticas desastrosas, radiação e incidência de câncer constante, superpopulação, misticismo, conglomerados corporativos inescrupulosos, redes sociais onipresentes, renascimento de tradições indígenas, governo privatizado e fundamentalismo religioso. “O que mais me atrai no gênero cyberpunk é como ele é ao mesmo tempo um olhar para o futuro e para problemas sociais que já temos faz centenas de anos,” diz Solari.

Imaculada Concepção, e os demais livros da série Cybersampa, têm capas inspiradas em quadrinhos feita pelo artista Bruno Dineli. Garanta já o seu e-book na Amazon. Assista ao trailer do livro:

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.