sexta-feira, 20/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas Fora de Série » Resenha Fora de Série: “O inverno que não acabou”, de Adriano de Andrade

Resenha Fora de Série: “O inverno que não acabou”, de Adriano de Andrade

O inverno que não acabouLivro: O inverno que não acabou
Autor: Adriano de Andrade
Editora: Novos Talentos
Páginas: 144
Tradução:
Resenha por: Monique Marie
Comprar: Saraiva Cultura Amazon

Um homem lutando contra as suas – amargas – lembranças; um psicopata oculto perturbando sua vítima em um cenário obscuro; dois mundos distintos que seguem caminhos paralelos e quase se cruzam; um erotismo imaginário preenchido com sofrimento alheio; o sonho perdido de uma criança e o vício na vida de um gênio. Elementos que compõem as narrativas curtas deste livro; uma seleção de contos para colocar suas sensações à flor da pele. Em um universo que percorre diferentes cenários relacionados às aflições que cercam o indivíduo, O inverno que não acabou e outros contos revela a eterna alternância dos sentimentos que resumem a esperança e a descrença na atitude humana.

“O que eu realmente queria era deixar meu passado em algum lugar, distante e guardado, para que ninguém mexesse nele, como se isso fosse possível.”

Confesso que pedi esse livro porque li que existia uma comparação do autor com Edgar Allan Poe em sua mente sombria, e como fã de Poe não poderia perder a chance de conhecer um autor nacional neste nível. Poe é Poe, mas os contos que tratam desse assunto mais sombrios são bons, não considero como extraordinários, mas são realmente bons.

Escrever contos não é algo fácil, você tem que tomar cuidado para não perder a mão e deixar grande demais e chato demais, isso com certeza o autor soube fazer.

O livro começa com o conto que dá nome à obra, na minha humilde opinião o melhor conto do volume e a melhor maneira para se começar a leitura. O inverno que não acabou mexe com o passado de uma pessoa e o assunto abordado nele é complicado para todos nós, mas queria deixar aqui os parabéns ao autor por ter colocado os sentimentos nos objetos e não nas pessoas. A casa, as paredes, as cores contam o que o personagem sente e isso é incrível.

Os contos abordam todos os tipos de temas e sentimentos: mortes, mentes sombrias, traições, superações e afins. Nem todos me animaram, mas em sua maioria são agradáveis, o que fez eu ter gostado do livro e falar que sim vale a pena lê-lo.

Achei incrível o conto Roda de amigos, todos deveriam prestar atenção nesse conto e perceber que no fim das contas o que importa é o sentimento. Mineiro que não perde trem foi o escolhido para finalizar o livro e infelizmente foi o que menos gostei, queria algo mais dramático para o fim, ele não é um conto ruim, mas para um livro com um tom mais sombrio acredito que a escolha poderia ter sido outra.

Como já citei acima, leiam o livro, são contos aprazíveis e gostosos de ler. Aproveitem para deixar nos comentários quais foram seus contos preferidos, gostaria de saber se vocês concordam comigo.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pelo autor como cortesia para o Livros em Série.

Já leu "O inverno que não acabou"? Quantas estrelas você dá para o livro?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Sobre Monique Marie

Publicitária frustrada com o pouco dinheiro da área e admiradora de tudo que envolve a política. Gosta de seriados que tenham serial killers, filmes infantis, fanática por futebol e F1, além de tentar competir com o Dr. Reid (Criminal Minds) quem lê mais rápido. Geralmente não gosta de ler o que está "na moda", adora indicações e ainda acredita que muitos livros se vendem pela capa. Não se separa de seu amigo rivotril e escreve no mínimo um texto por dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*