domingo, 26/03/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Lobo por Lobo”, de Ryan Graudin

Resenha: “Lobo por Lobo”, de Ryan Graudin

Resenha O problema dos três corposLivro: Lobo por Lobo (#01)
Série: Lobo por Lobo
Autor: Ryan Graudin (@ryangraudin)
Páginas: 360
Editora: Seguinte
Tradução: Guilherme Miranda
Resenha por: Bruna Fernández
Comprar: Saraiva Submarino Amazon + ofertas

O Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial, e a Alemanha e o Japão estão no comando. Para comemorar a Grande Vitória, todo ano eles organizam o Tour do Eixo: uma corrida de motocicletas através das antigas Europa e Ásia. O vencedor, além de fama e dinheiro, ganha um encontro com o recluso Adolf Hitler durante o Baile da Vitória. Yael é uma adolescente que fugiu de um campo de concentração, e os cinco lobos tatuados em seu braço são um lembrete das pessoas queridas que perdeu. Agora ela faz parte da resistência e tem uma missão: ganhar a corrida e matar Hitler. Mas será que Yael terá o sangue frio necessário para permanecer fiel à missão?

“Seu reflexo não era reflexo nenhum. Era um espelho estilhaçado. Algo cujas pelas precisava juntas, várias e várias vezes. Memória por memória. Perda por perda. Lobo por lobo.”

Fiquei superempolgada quando soube do lançamento da Seguinte dessa nova duologia da autora Ryan Graudin por alguns motivos: já li outro livro da autora, lançado pela Seguinte também, Cidade Murada, e adorei; a temática de Lobo por lobo em que o Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial e Alemanha e Japão estão no comando do mundo. Para celebrar essa vitória todo ano acontece o Tour do Eixo, uma longa corrida de motocicletas que vai de Berlim a Tóquio, em que jovens garotos competem para ganhar e conhecer Hitler no Baile da Vitória.

A protagonista de Lobo por lobo é Yael, uma jovem judia que teve uma vida cruel, solitária e desumana, mas que conseguiu sobreviver a grandes atrocidades e hoje trabalha para a Resistência, que ainda planeja a queda de Adolf Hitler. Para que isso aconteça, Yael foi a escolhida para tomar o lugar de Adele Wolfe, a única garota a disputar (e vencer!) a prova, enganando a todos ao assumir a identidade de seu irmão gêmeo, Felix Wolfe. O plano é que Yael assuma a identidade de Adele, ganhe a corrida pela segunda vez e no Baile da Vitória, execute Hitler na frente de todos e ao vivo para o mundo todo.

Mas as coisas não são tão simples assim e os obstáculos de Yael são inúmeros. Apesar de estudar cuidadosamente os maneirismos de Adele e as relações dela com o irmão e os outros corredores, Yael aprende da pior maneira que não se pode é impossível reduzir relações humanas a relatórios frios e impessoais. Há muito mais nessas relações como pequenos segredos e memórias de momentos passados juntos.

Gostei demais da representatividade feminina de Yael nesse livro. Ela é uma garota que já sofreu muito nessa vida, com uma missão de peso sobre si, obstinada e ainda assim podemos ver a humanidade que aflora nela, a hesitação em tirar as pessoas de seu caminho a qualquer custo. A personagem de Felix Wolfe também é muito bem construída, fiel e protetor até o último fio de cabelo, ele faz de tudo para proteger a sua irmã, sem saber que ela na verdade está presa em algum lugar.

Outra personagem que vale o destaque é o corredor Luka Löwe, que já venceu a corrida uma vez, assim como Adele. Yael passa praticamente o livro todo tentando entender a relação que Adele tem com Luka e, claro, acaba se interessando um pouco por ele no processo. Mas ninguém é 100% confiável e ela tenta manter a distância do garoto o máximo que pode, afinal, ele continua sendo seu rival. Outro rival à sua altura é o japonês Katsuo, um corredor sem escrúpulos e que está disposto a qualquer manobra para eliminar seus concorrentes.

Gostei demais da ideia da corrida com motocicletas, que leva o enredo para lugares diferentes o tempo todo como Roma, Cairo, Bagdá, Nova Delhi e Hanói. É pura ação do começo ao fim, com um enredo envolvente e cheio de reviravoltas. Apesar de toda a ação o livro também aborda, com muita delicadeza, o tema delicado da SGM e o genocídio realizado por Hitler. Fazia muito tempo que uma nova série YA não me prendia na leitura e eu simplesmente não conseguia largar Lobo por lobo. Ansiosa demais pelo próximo (e infelizmente último) livro. Espero que a editora também publique aqui no Brasil o conto Iron to Iron que conta os acontecimentos da corrida que a verdadeira Adele Wolfe correu com o nome de seu irmão e ganhou, e o que realmente aconteceu entre ela e Luka.

“Adeus. Era sempre adeus, não?
Ela nunca conseguia dizer adeus em voz alta.”


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Já leu "Lobo por lobo"? Quantas estrelas você dá para o livro?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*