segunda-feira, 24/04/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Muncle Trogg: o menor gigante do mundo”, de Janet Foxley

Resenha: “Muncle Trogg: o menor gigante do mundo”, de Janet Foxley

muncle troggLivro: Muncle Trogg: o menor gigante do mundo (#01)
Série: Muncle Trogg
Autor: Janet Foxley (@JEFoxley)
Editora: Intrínseca
Páginas: 224
Tradução: Rafael Spigel
Resenha por: Juh Claro
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Amazon + ofertas

Em Muncle Trogg – O menor gigante do mundo, uma comunidade de gigantes vive no Monte das Lamentações escondida dos Pequenotes, como chamam os humanos. Há muitos anos, os gigantes escravizavam os humanos, mas hoje em dia, acreditam que eles são seres poderosos e possuem uma magia capaz de destruí-los. Muncle Trogg é o único gigante pequeno do lugar e, por isso é ridicularizado por todos que conhece. Mas no dia em que conhece o Sábio Homem, a situação começa a mudar e ele decide descer a montanha para dar uma olhada em como vivem os Pequenotes. No passeio, Muncle conhece Snarg, um dragão fujão, e a menina humana Emily e começa a perceber que apesar de seu tamanho diminuto, tem qualidades especiais.

Quando o Aniversário do Rei se aproxima, os gigantes têm que pensar em como entreter Sua Enorme Majestade, mas um presente acaba causando uma grande confusão. Resta a Muncle salvar os Pequenotes dos gigantes e os gigantes dos Pequenotes. O que ele não tem de altura precisará compensar com esperteza.

Muncle Trogg – o menor gigante do mundo é o primeiro livro da série (infelizmente só dois, de três, foram lançados no Brasil até o momento) e nos traz a história do mundo dos gigantes – mais especificamente de Muncle, o gigante mais baixinho da comunidade. Seus pais e irmãos têm a estatura comum de um gigante, porém algo aconteceu com Muncle e ele não cresceu nadinha. Obviamente que isto é motivo de zoação na escola e na própria casa, o que faz com que ele nem frequente muitas aulas e não tenha ideia de como arranjará emprego se seguir nesse ritmo.

A família dos Trogg é composta por Muncle, seu irmão mais novo, Gritt, sua irmã mais nova, Flubb, seu Pá e sua Mã. Os Trogg são bem pobres e Pá possui três empregos para tentar trazer algo para a mesa todos os dias – não é fácil saciar a fome de um gigante!

Uma coisa que você precisa saber sobre este mundo dos gigantes é o medo que eles têm dos Pequenotes (aka: nós, humanos). Há uma lenda de que os Pequenotes possuem dons de mágica e podem destruir todos os gigantes – então eles vivem em um local afastado chamado Monte das Lamentações. Só que Muncle é fascinado pelos Pequenotes e tem até um esconderijo secreto que acaba levando para a vila deles.

Inclusive, a matéria de estudos sobre Pequenotes é uma das únicas em que Muncle se dá bem. E é durante uma excursão para o Museu Real com a turma da escola que ele conhece o senhor Biblos, o Sábio Homem do Conselho do Rei, o mais esperto entre todos os gigantes. É ao ver Muncle que Biblos pede a ele que vista algumas roupas que pertenciam aos Pequenotes, e que hoje ficam no museu, para que a turma tenha uma ideia mais concreta de como eles são.

Muncle acaba ficando ainda mais fascinado pelos Pequenotes e, em uma conversa com Biblos, decide que durante o aniversário do Rei ele irá realizar uma performance como se fosse um verdadeiro Pequenote. Com isto, ele fica com as roupas do museu – com o dever de cuidar muito bem delas e aproveita para dar uma escapada para a vila de Pequenotes próxima ao Monte. Porém, assim que ele encontra com a primeira Pequenote, Emily, ele não consegue deixar de reparar que eles não têm nada a ver com o que ensinam na escola – muito menos são parecidos com ele, apesar da altura.

Como ele não pode contar para ninguém dessa sua descoberta, Muncle continua vagando invisivelmente pela rotina dos gigantes; até que sua vida finalmente começa a fazer sentido. Gritt, durante uma aula, acaba perdendo Snarg, o dragão (propriedade da escola), e Muncle precisa usar a sua inteligência para recuperá-lo e fazer com que seu irmão não seja expulso.

É exatamente durante seu contato com Snarg que ele começa a perceber quão especial e inteligente ele é e que sua altura não pode diminuí-lo perante a comunidade. Contrariando a tudo e a todos, Muncle será a peça essencial para livrar os gigantes de uma invasão de Pequenotes e será recompensado com um cargo muito importante, junto à família Real.

Muncle nos mostra que não tem problema algum ser diferente; muito pelo contrário! Você pode até se destacar perante aos demais e se dar muito bem.

A história “não termina” e deixa espaço para o próximo volume (que pretendo não demorar muito para ler). Estou curiosa para saber o desenrolar da história e se Muncle continuará ajudando os gigantes com a sua sabedoria. E é claro que quero rever os Pequenotes, acredito que Muncle tenha algum plano para fazer com que eles vivam juntos – ou algo nessa linha.

Destaque para a diagramação e as ilustrações que dão um toque a mais para a leitura. Diversas páginas trazem figuras dos gigantes, dragões e das comidas estranhas que são descritas durante a história. Com certeza o público alvo (diria algo em torno de 7 a 11 anos) irá se divertir com todas essas distrações que complementam o livro.

A resenhista leu e resenhou esse livro para o Desafio de Leitura do Livros em Série de 2017. Clique aqui para saber mais sobre o desafio e, quem sabe, participar!

#desafiodeleiturales2017


Aviso Legal: Esse livro foi adquirido pela própria resenhista.

Já leu "Muncle Trogg: o menor gigante do mundo"? Quantas estrelas você dá para o livro?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Sobre Juh Claro

26 anos, formada em Design Digital, cursando MBA em Gerenciamento de Projetos, trabalha como Analista de Projetos em uma multinacional de BPO (aka Contact Center) de segunda à sexta e divide os seus finais de semana e horas vagas entre leituras, shows, viagens e jogos de futebol, quase sempre acompanhada do noivo.

2 comentários

  1. Boa tarde Juh,

    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, sempre tive muita curiosidades, gosto demais do gênero e agora com a sua resenha vai de vez para a minha lista….bjs.

  2. Olá, Marco!
    Fico feliz que tenha gostado da resenha e espero que goste do livro também :) Volte aqui depois para me contar, hein!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*