quinta-feira, 12/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Desintegrados”, de Neal Shusterman

Resenha: “Desintegrados”, de Neal Shusterman

DesintegradosLivro: Desintegrados (#02)
Série: Fragmentados
Autor: Neal Shusterman (@nealshusterman)
Editora: Novo Conceito
Páginas: 416
Tradução: Camila Fernandes
Resenha por: Monique Marie
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Amazon + ofertas

A Fragmentação tornou-se um grande negócio com poderosos interesses políticos e corporativos em jogo. O governo não quer apenas continuar com ela, como também expandi-la. Cam foi feito inteiramente com as melhores partes de fragmentados e, tecnicamente, ele é um garoto que não existe. Um verdadeiro Frankstein do futuro, que luta para encontrar sua identidade e se questiona se um ser como ele pode ter alma. Quando as ações de um sádico caçador de recompensas ameaçam a causa de Connor, Lev e Risa, o destino de um deles é ligado ao de Cam. A aguardada sequência de Fragmentados desafia a suposição de onde começa e termina a vida e o que realmente significa viver.

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

#01 - Fragmentados

Se você chegou nessa resenha é porque leu Fragmentados, então falar que o nosso trio do primeiro livro conseguiu fugir não é um spoiler, correto? Bom, em Desintegrados esse trio continua sua saga para passar da idade onde o Governo obriga a fragmentação, mas eles não contavam com tantos problemas e nem com o aparecimento de Cam.

Juro que passei Fragmentados inteiro pensando se seria possível a criação de uma pessoa com inúmeros pedaços de outras e se o autor seria sensacional em fazer isso, obrigada Neal por Cam.

Cam não é “apenas” um superhumano (ou sei lá o que) que você conhece nesse livro, mas sim uma peça fundamental para a sobrevivência do grupo dos fugitivos, vez que ele escolhe Risa para sua vida.

Não quero contar mais de como Risa entra na vida (ou não) de Cam pois estragaria esse livro e aí sim é spoiler e sacanagem da minha parte, mas temos mais uma vez um ponto para ser pensado e repensado ao terminar de ler: até que ponto você sacrificaria a sua vida em nome da segurança dos seus amigos?

De uma maneira intrigante Neal nos deixa pensando em inúmeros fatos do cotidiano desde o primeiro livro. Questões como aborto, até que ponto o Governo pode interferir em nossas vidas (literalmente), até que ponto nossos pais podem escolher se seremos sacrificados em determinada idade por conta de crença religiosa e o que cada um faria ao saber as escolhas que foram feitas para sua vida.

O segundo livro segue o mesmo ritmo do primeiro, é fácil de ler, é gostoso, fatos novos são apresentados e ficamos com mais dúvidas do que respostas, o que é bom. Em Fragmentados algumas pessoas não acharam que existiria uma continuação, já em Desintegrados ele deixou questionamentos importantes em aberto, o que me deixa curiosa para o lançamento do terceiro livro.

Achei até melhor que o primeiro e com personagens mais duros e densos, vale demais a leitura e as 5 estrelas são dadas com todo o carinho do mundo.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Já leu "Desintegrados"? Quantas estrelas você dá para o livro?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Sobre Monique Marie

Publicitária frustrada com o pouco dinheiro da área e admiradora de tudo que envolve a política. Gosta de seriados que tenham serial killers, filmes infantis, fanática por futebol e F1, além de tentar competir com o Dr. Reid (Criminal Minds) quem lê mais rápido. Geralmente não gosta de ler o que está "na moda", adora indicações e ainda acredita que muitos livros se vendem pela capa. Não se separa de seu amigo rivotril e escreve no mínimo um texto por dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*