segunda-feira, 24/04/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “A rosa e a adaga”, de Renée Ahdieh

Resenha: “A rosa e a adaga”, de Renée Ahdieh

A rosa e a adagaLivro: A rosa e a adaga (#02)
Série: A fúria e a aurora
Autor: Renée Ahdieh (@rahdieh)
Editora: Globo Alt
Páginas: 368
Tradução: Fabienne Mercês
Resenha por: Kinina
Comprar: Saraiva Cultura Amazon + ofertas

A jovem Sherazade chegou a acreditar que seu marido, Khalid, o califa de Khorasan, fosse um monstro. Mas por trás de seus segredos, ela descobriu um homem amável, atormentado pela culpa e por uma terrível maldição, que agora pode mantê-los separados para sempre. Refugiada no deserto com sua família e seu antigo amor, Tariq, ela concentra forças para quebrar a maldição e voltar a viver com seu verdadeiro amor.
Com uma narrativa envolvente e repleta de referências à cultura árabe, a autora desenvolve um universo de intriga política, magia negra e relações complexas. Os personagens, que em A fúria e a aurora já haviam conquistado o coração dos leitores, tornam-se ainda mais marcantes, profundos e sedutores.

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

A fúria e a aurora

“- Você é tudo o que sou.
– E você é tudo que serei.”

Sherazade sabe a verdade que assombra o Kalifa, sobre a maldição que o faz matar suas esposas. Ela fará o possível e o impossível para quebrar a maldição para que todos possam ter seu final feliz.

Depois do ataque a cidade de Khorasan, Sherazade é levada para o acampamento Badawi onde ela deveria estar em segurança, mas nada é o que parece. Está em companhia de amigos, familiares e estranhos mas ela sente que não pode confiar em ninguém. No acampamento Badawi, alem de acompanhar a aventura de Sherazade em busca do fim da maldição, temos maia proximidade com outros personagens que pouco foram explorados no primeiro livro.

Sua irmã Irsa ganha uma importância grandiosa na história apoiando Sherazade e ganha sua própria história de amor. Tariq, primeira paixão de Sherazade, continua por perto tentando entender porque Sherazade não o que mais e como ela consegue amar alguém que é considerado um monstro. Khalid, para mim, é meu personagem favorito. E para quem gosta tanto do rei, assim como eu, vai ser muito a falta dele durante quase metade do livro quando a história foca apenas na kalifa. Uma coisa que AMO no livro são as expressões e títulos locais do oriente médio que a autora usa, enriquecendo demais as conversas entre os personagens e como eles são descritos.

É difícil dizer se a história é romance, drama ou aventura. Ele pode ser tudo e um pouco mais! Mas não importa como queiram rotular, nome do livro é simplesmente uma história maravilhosa, apaixonante, viciante! Sorri, chorei e me apaixonei por tudo e todos. Com certeza um livro que você vai querer ler e reler e vai se emocionar sempre como se fosse a primeira vez. Leitura obrigatória para os amantes de histórias fantásticas!

“Não é preciso coragem para matar. Mas é preciso coragem para viver.”


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Kinina

Formada em Hotelaria e Análise de sistema, mas trabalha com Atendimento em uma agência publicitária. Passo o tempo lendo, assistindo seriados, ouvindo música e tendo ideias malucas. Vai que um dia alguma dá certo e ela fica rica e famosa...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*