quarta-feira, 15/11/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Olhos prateados”, de Scott Cawthon e Kira Breed-Wrisley

Resenha: “Olhos prateados”, de Scott Cawthon e Kira Breed-Wrisley

Resenha Ohos prateadosLivro: Olhos prateados (#01)
Série: Five Nights at Freddy’s
Autores: Scott Cawthon e Kira Breed-Wrisley
Editora: Intrínseca
Páginas: 368
Tradução: Glenda D´Oliveira
Resenha por: Monique Marie
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Amazon + ofertas

No popular videogame criado por Scott Cawthon, o jogador assume o papel de um segurança contratado para tomar conta de uma pizzaria durante a noite, enquanto os animatrônicos perambulam e ganham ímpeto violento. Mas o mistério por trás dessas criaturas e dos assassinatos que ocorreram ali nunca foi desvendado… até agora. Olhos prateados extrapola o universo que conquistou fãs no mundo todo e traz à tona os medos mais obscuros que só brinquedos sinistros são capazes de provocar.

O primeiro livro da trilogia Five Nights at Freddy’s leva o leitor ao mundo de Charlie, uma adolescente que volta para sua cidade natal quando é convidada para participar de uma homenagem a um de seus amigos de infância, morto dez anos atrás, em circunstâncias misteriosas, dentro da pizzaria do pai dela.

Tomados pela nostalgia e determinados a desvendar o crime jamais solucionado, Charlie e seus amigos acabam voltando à pizzaria, agora totalmente abandonada. Eles logo vão descobrir que as coisas lá dentro não são mais as mesmas. Os quatro animatrônicos mudaram. Os bonecos que antes encantavam as crianças agora guardam um segredo sombrio… e um plano mortal.

Eis que mais uma vez chego com muita expectativa para um livro e ela vai por água abaixo, as duas únicas partes que me empolgaram de verdade foram a sinopse e a capa, esta última é no mínimo incrível, uma das melhores que vi nos últimos tempos.

Resumindo para não soltar spoiler para quem quer ler, a sinopse fala tudo que pode ser falado e é um livro bem juvenil. A narrativa chega a ser chata em vários momentos do livro que passam mais tempo detalhando o local do que dando a emoção que esperamos que ele tenha, para um livro de terror eu acho que os autores “perderam” muito tempo com coisas que poderiam ser colocadas de uma maneira mais simples e dar mais movimento (movimento que digo é em deixar a história mais animada, sem nada travando).

Outra parte que achei que o livro peca é em não aprofundar o nosso conhecimento sobre os personagens, esperava que no mínimo conhecesse muito sobre Charlie e sua forma de pensar, fiquei apenas esperando e ainda torço para que façam isso em algum dos dois livros que faltam.

Deixo claro que não é um livro ruim, apenas coloquei expectativa demais e ela não foi correspondida. É um bom suspense/terror que tem uma dose de flashbacks da infância que não são chatos misturado com uma narrativa de novos fatos adolescentes estranhos ou assustares, essa parte vocês futuros leitores podem decidir (já que nenhum passou dos 18 anos).

Encorajo que leiam e que venham me contar o que acharam. Os amantes desse jogo vão se sentir mais familiarizados do que eu e talvez aumentem a nota, mas como disse esse não é um livro para deixar de lado, quero ja a continuação porque algo me diz que a turma de Charlie ainda tem algo para me contar que irá surpreender.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Monique Marie

Publicitária frustrada com o pouco dinheiro da área e admiradora de tudo que envolve a política. Gosta de seriados que tenham serial killers, filmes infantis, fanática por futebol e F1, além de tentar competir com o Dr. Reid (Criminal Minds) quem lê mais rápido. Geralmente não gosta de ler o que está "na moda", adora indicações e ainda acredita que muitos livros se vendem pela capa. Não se separa de seu amigo rivotril e escreve no mínimo um texto por dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*