25 de maio de 2017
Postado por: Cine @ Arquivado em: Notícias

Parceria entre dois dos maiores autores de fantasia do mundo, Belas maldições, de Neil Gaiman e Terry Pratchett, é o livro favorito de muitos fãs do gênero. Em maio, a Bertrand Brasil lança edição revisada e com capa renovada da obra, que vai ganhar uma adaptação para a TV em 2018.

Belas maldições

A trama acompanha dezenas de personagens no que parecem ser os últimos dias antes do fim do mundo. Crowley, um demônio, e Aziraphale, um anjo, representam o que há de Bom e Mau no planeta. Mas, depois de 4 mil anos vivendo por aqui, eles se tornaram grandes amigos e desenvolveram certo gosto pela humanidade. Para tentar evitar o armagedom, eles precisam encontrar o Anticristo, um menino de 11 anos.

Mas a tarefa não será das mais fáceis, porque aparentemente o Anticristo foi confundido na maternidade e acabou crescendo no lugar errado, com a família errada. No caminho, eles ainda vão topar com uma jovem bruxa que foi a única a prever corretamente o fim do mundo, alguns caçadores de bruxa e até os quatro cavaleiros do apocalipse, que têm trabalhos bem mundanos: Guerra e Fome, por exemplo, são respectivamente uma repórter correspondente de guerra e um magnata do fast food.

Descrito pelo jornal San Francisco Chronicle como “o Livro do Apocalipse como se fosse reescrito pelo Monty Python”, Belas maldições reúne as melhores características dos dois autores, num mergulho hilário e um tantinho nonsense num mundo de fantasia cheio de referências.

Produzida pela BBC Studios, a série de TV inspirada em Belas maldições será exibida pela Amazon em 2018. O próprio Neil Gaiman escreveu os roteiros dos seis episódios. “Há quase 30 anos, Terry Pratchett e eu escrevemos o livro mais engraçado que conseguimos conceber sobre o fim do mundo, povoado por anjos, demônios, um anticristo de 11 anos e os quatro cavaleiros do apocalipse. É o livro favorito de muita gente. E, três décadas depois, ele vai chegar às telas. Gostaria que Sir Terry estivesse vivo para ver isso”, disse Gaiman num comunicado em janeiro, quando a produção foi anunciada.

Fonte: Editora Record




1 comentário



30-5-2017 - 09:54:08

Oi Cine, tudo bem?
Não estou familiarizada com a escrita de nenhum dos autores. E não é por falta de vontade: já tive vários livros do Neil Gaiman na lista de leitura e acabei deixando de lado por falta de tempo. Mas me dei muito bem com a escrita deles, me diverti bastante, soltei várias gargalhadas e me adaptei fácil. O humor sarcástico deles me lembrou as antigas crônicas do Luis Fernando Veríssimo e até do Keith Stuart, autor de O menino feito de blocos. A história é envolvente, a escrita impressionante, e os personagens adoráveis. Aziraphale e Crowley são minha dupla literária favorita. Conseguiram me arrancar várias risadas. Adorei o livro e estou recomendando para todo mundo.
Beijos.


Deixe um comentário

Os campos marcados com * são obrigatórios.





Comentário *