sexta-feira, 18/08/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “A conquista”, de Elle Kennedy

Resenha: “A conquista”, de Elle Kennedy

Resenha A conquistaLivro: A conquista (#04)
Série: Amores improváveis
Autor: Elle Kennedy (@ElleKennedy)
Editora: Paralela
Páginas: 336
Tradução: Juliana Romeiro
Resenha por: Bru Fernández
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Amazon + ofertas

De todos os jogadores do time de Hóquei da universidade de Briar, John Tucker se destaca por ser o mais sensato, gentil e amável. Diferente de seus amigos mulherengos, ele sonha mesmo é com uma vida tranquila: esposa, filhos e, quem sabe um dia, abrir um negócio próprio. Mas nem mesmo o cara mais calmo do mundo estaria preparado para o turbilhão de emoções que ele está prestes a enfrentar.

Sabrina James é a pessoa mais ambiciosa, dedicada e batalhadora do campus. Seu jeito sério e objetivo é interpretado por muitos como frieza, mas ela não está nem aí para sua fama de antipática. Tudo o que ela quer é passar em Harvard, tirar ótimas notas e conquistar a tão sonhada carreira como advogada. Só assim ela conseguirá escapar de seu passado difícil e de sua família terrível. Um acontecimento inesperado vai desses jovens de cabeça para baixo. Tucker e Sabrina vão precisar se unir e rever seus planos para o futuro. Juntos, eles aprenderão que a vida é cheia de surpresas, e que o amor é a maior conquista de todas.

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

Quando a editora Paralela publicou O acordo no ano passado e eu me interessei pela história, não poderia imaginar que Amores improváveis se tornaria uma das minhas séries preferidas e mais queridas! Peguei A conquista para ler com sentimentos contraditórios: feliz por ter mais uma história dos jogadores de hóquei da Briar em mãos, tristeza por ser o último da série e ceticismo, afinal duvidava que John Tucker – a personagem principal de A conquista – tiraria o posto de melhor personagem/namorado de Dean DiLaurentis. E é aí que Elle Kennedy nos surpreende novamente!

Não me entendam errado, Dean ainda é meu favorito, mas John Tucker ganhou meu coração ao longo das páginas dessa história. Nos outros livros Tucker é descrito como o “pai de todos”, mais sensato e responsável dos jogadores que dividem a casa. E acreditem, ele é mesmo. Longe de ser um santo, mas um homem – e que homem! – com um coração de ouro. Mesmo sendo advertido a ficar longe de Sabrina James, que Dean afirma ser encrenca, ele não se deixa levar pela opinião alheia e segue seu coração (e sua cabeça de baixo) com resiliência e paciência admiráveis.

“Mas se tem uma coisa que aprendi em todos esses anos jogando hóquei é que vale a pena ter paciência. Você não manda uma tacada para o gol assim que recebe o passe. Você espera uma abertura.”

O que eu mais gostei em A conquista é que o começo da narrativa é paralelo a alguns acontecimentos de O jogo. Foi muito divertido ver o outro lado do que estava acontecendo e perceber que a autora já começou a construir a narrativa de Tucker dentro da narrativa de Dean. Genial!

De todas as personagens femininas criadas por Kennedy, acredito que a de Sabrina James é a que mais pena para se entregar de verdade ao amor. A personagem teve uma vida muito difícil, sendo abandonada pelo pai, anos depois pela mãe e criada pela avó – a quem ela ama muito, apesar do ressentimento que existe entre as duas – e pelo padrasto nojento, que agora está num relacionamento com a avó dela. Complicado é pouco para descrever o lar de Sabrina. Mas mesmo rodeada de dessa energia negativa incessante, Sabrina desde pequena tem muitos planos para o futuro: ser uma grande advogada, entrar em Harvard e trabalhar nas melhores e maiores firmas de advocacia de Boston.

“Um sorriso curva meus lábios. Gata, exuberante e trabalhadora? Caramba. Minha mãe ia adorar essa menina.”

O foco da personagem em ser uma grande advogada e ter muito dinheiro para sair do lugar sufocante que hoje ela chama de casa é tanto que ela não se dá ao luxo de ter tempo para namorar sério. Homens servem apenas para o sexo e nada mais. Pelo menos é no que ela acredita, até ficar com Tucker. Ela tenta afastá-lo de todas as maneiras que pode, afinal, Sabrina não sabe o que é ser amada e cuidada. Isso assusta demais a personagem. Mas sempre que ela precisa de alguém ao seu lado para ajudá-la, lá está ele, pronto para ser seu apoio. Reafirmo aqui… que homem é esse minha gente… que homem é esse!

Como todos os outros livros da série, A conquista é uma delícia de leitura. Daquelas que a gente se envolve tanto que quando percebe, passamos o dia no sofá/na cama com a cara enfiada no livro, e só paramos ao chegar na última página e já estarmos cheia de saudades de histórias da Briar e seus jogadores de hóquei… mas nem tudo está acabado!

A autora já anunciou que vai escrever uma série spin-off de Amores improváveis e o primeiro livro será nada mais, nada menos sobre Fitzy – um dos meus personagens secundários favoritos!!! – e Summer, irmã de Dean! Fiquei tão feliz que meu coração deu pulinhos. Ainda não há previsão de lançamento e nem de quais serão os outros casais dessa nova série mas já estou animadíssima para essa nova série. Basta saber se a editora Paralela vai continuar a publicar os livros por aqui… diz que sim vai gente! ;)


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*