quarta-feira, 15/11/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Alena”, de Kim W. Andersson

Resenha: “Alena”, de Kim W. Andersson

AlenaLivro: Alena (#01)
Série: Alena
Autor: Kim W. Andersson (@kimwandersson)
Editora: AVEC
Páginas: 120
Tradução: Guilherme da Silva Braga
Resenha por: Monique Marie
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Amazon + ofertas

A vida de Alena é um inferno. Desde que começou a estudar em um colégio cheio de colegas esnobes, ela sofre bullying de Filippa e das outras meninas do time de lacrosse. A melhor amiga de Alena acha que já chega de aguentar todo esse abuso. Seja da conselheira, do diretor, de Filippa ou de qualquer outra pessoa nessa escola repulsiva. Josefin promete resolver o assunto por conta própria a menos que Alena dê o troco. Só existe um problema: Josefin está morta há um ano.

Mais uma vez a AVEC aparece com uma HQ de qualidade impressionante. Eu acredito que jamais me cansarei de falar dos desenhos, da gramatura das páginas, da capa, da qualidade da impressão e tudo mais que envolve uma história em quadrinhos. Eu não me surpreendo mais que a AVEC entregue um trabalho tão incrível, é costume essa alta qualidade deles.

Também acho interessante ressaltar que as despesas relacionadas ao custo de tradução do sueco para o português tiveram o subsídio do Svenska Culturradet Conselho Nacional de Cultura da Suécia, vivemos em uma época onde apostar na cultura parece não valer tanto que cada ajuda deve ser agradecida sempre que possível! ?

Sobre a história em si é clássico falar que em HQ´s a gente não tem muito o que escrever que não seja mais do mesmo que está na sinopse, já que é uma leitura curta e se falar algo a mais será um baita de um spoiler! A narrativa é envolvente, é uma história boa para quem gosta do gênero e você se prende facilmente no universo da nossa personagem central. Eu queria a qualquer custo entender porque ela se deixava levar pelo pensamento quase doentio da amiga falecida.

É uma história que pode alavancar inúmeras discussões sobre bullying em suas piores formas, sobre o tratamento diferente de bolsistas com os ricos nas escolas, sobre relações abusivas, sobre o homossexualismo e mais um monte de coisas. Perceberam como em poucas páginas você consegue criar uma história que puxe assuntos que ainda são tratados como tabus na sociedade e ao mesmo tempo te deixar envolvida em querer entender uma mente doentia de uma pessoa? Afinal como Josefin fez tudo aquilo se ela estava morta? Seria um devaneio? Seria uma personalidade assumida por Alena? São várias hipóteses.

O mais legal é quando você termina o livro e fica com a sensação de “W T F”. Eu não consigo expressar em palavras (na verdade seriam essas três aí, mas não acho uma boa colocar a tradução) como se senti com o que aconteceu. Não sei se ele me deu as respostas que queria ou se fiquei com mais teorias na minha cabeça. Só sei que foi incrível e eu não pensaria nisso, de verdade.

Podem correr até a livraria mais próxima para comprar seu exemplar e vir debater comigo, porque fico extremamente chateada em não ter com quem comentar o que aconteceu! E caso tenham mais pessoas que se interessem no assunto, podemos conversar sobre esses temas relevantes nos dias de hoje e como eles afetam os jovens. Quem sabe com nossas experiências e opiniões não podemos mudar o final de outras Josefins e Alenas?


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Monique Marie

Publicitária frustrada com o pouco dinheiro da área e admiradora de tudo que envolve a política. Gosta de seriados que tenham serial killers, filmes infantis, fanática por futebol e F1, além de tentar competir com o Dr. Reid (Criminal Minds) quem lê mais rápido. Geralmente não gosta de ler o que está "na moda", adora indicações e ainda acredita que muitos livros se vendem pela capa. Não se separa de seu amigo rivotril e escreve no mínimo um texto por dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*