quarta-feira, 15/11/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Química perfeita”, de Simone Elkeles

Resenha: “Química perfeita”, de Simone Elkeles

Química perfeitaLivro: Química perfeita (#01)
Série: Química perfeita
Autor: Simone Elkeles (@simoneelkeles)
Editora: GloboAlt
Páginas: 428
Tradução: Fal Azevedo
Resenha por: Bru Fernández
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Amazon + ofertas

Brittany e Alex são de mundos opostos: ela é a menina perfeita com um futuro brilhante pela frente, ele o membro de uma gangue perigosa que não tem nada a perder. Os dois não teriam nenhum contato um com o outro, se não tivessem sido forçados a ser parceiros nas aulas de química do último ano. Alex sabe que qualquer relação que Brittany tenha com ele pode colocar em risco sua reputação impecável de boa aluna e namorada dedicada e, por orgulho e diversão, aposta com os amigos que consegue fazer com que ela saia com ele. No entanto, quanto mais se aproximam, mais fica evidente que eles têm algo em comum que ninguém parece perceber: nenhum dos dois é o que se esforça tanto para ser.

“Porque o caso é que às vezes, quem brinca com fogo se queima de verdade.”

Finalmente a trilogia Química Perfeita será publicada no Brasil – agora de forma decente -, a espera acabou! Pra quem não é das antigas e não se lembra, o primeiro volume da série já foi publicado por aqui pela finada Editora Underworld – mas com uma tradução bem ruim e uma capa pior ainda (confiram nossa resenha dessa edição aqui). Então, obrigada à Globo Alt por nos trazer mais essa incrível série da Simone Elkeles!

O enredo pode não chamar tanto a atenção por parecer um completo clichê de garota boazinha e certinha se apaixonando por um bad boy da pesada e os problemas que eles enfrentam ao se apaixonarem. Mas a escrita da autora é tão genial que ela consegue levar suas personagens e sua história a um outro patamar. Ao descrever a vida de seus protagonistas Brittany e Alejandro (Alex), percebemos o grande erro que cometemos ao julgar uma pessoa apenas por suas aparências. Ela nos mostra o porquê de Brittany querer representar o tempo todo, para todo mundo, que ela é o símbolo da perfeição. Na verdade ela tenta compensar a imagem de vida perfeita por causa de sua irmã mais velha que é deficiente mental e tem sua condição nem um pouco aceita pela família. Quase ninguém sabe que Brittany tem uma irmã, só porque ela não é considerada “normal” pela sociedade, olhem o absurdo! Pode parecer exagero, mas infelizmente ainda existem pessoas assim no mundo. Já no caso de Alex, o que esperamos é um rebelde sem causa, que é revoltado sem motivos, mas na verdade é justamente o contrário. Alex viu seu pai morrer na sua frente quando tinha apenas 6 anos de idade. Acabou ingressando na gangue da qual ele fazia parte, a Latino Blood, para poder continuar protegendo a sua mãe e os dois irmãos mais novos: Carlos e Luis.

A autora mostra em seu enredo uma cidade dividida e separada pelo preconceito socioeconômico e cultural. O único lugar em que os ricos e pobres interagem é na escola, onde Brittany e Alex acabam se tornando parceiros de laboratório na aula de química, graças à professora, sra. P. Aliás, a professora de química aparece bem pouco, mas é uma das personagens favoritas. Ela sempre tem ótimos conselhos para dar e tem uma visão de mundo muito interessante e objetiva. Gostei dela logo de cara quando ela diz na sua aula:

“— O que eu estou dizendo é… Dinheiro e status não são tudo. Use seu cérebro e faça algo pela humanidade ou pelo planeta no qual vive. Aí será uma pessoa bem-sucedida. E terá meu respeito, algo de que bem poucas pessoas neste mundo podem se gabar.”

E por falar em personagens secundárias incríveis, esse livro está recheado delas! Fora a professora me apaixonei pela irmã de Brittany, Shelley, e por Isabel e Paco, amigos de Alex. Shelley, apesar de quase não aparecer é a pessoa mais importante na vida da irmã mais nova. Cada passo, cada meta que Brittany traça pra si, envolve estar perto de sua irmã. Um amor incondicional que Shelley não recebe dos pais. Já Isabel e Paco são mais recorrentes no enredo e são cativantes ao extremo. Isabel é forte e transgressora: mesmo sendo da parte pobre e latina da cidade, ela entra para a equipe de pompons (achei esse nome péssimo e não entendo porque a autora não usou o termo cheerleaders, mas ok) e acaba se tornando uma grande (e improvável) amiga de Brittany. Já Paco, é o fiel amigo de Alex. Com uma vida nada fácil e bem sofrida, ele faz de tudo pelo melhor amigo. Literalmente.

Uma história imperdível pra quem não resiste a um bom romance sem mimimi com personagens apaixonantes, inteligentes e divertidas. Te desafio a não se apaixonar pelo bad boy Alex Fuentes. Duvido que você consiga.

“— Não faça perguntas para as quais não está pronta para ouvir resposta. Está bem?”


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

Um comentário

  1. Preciso ler algo mais leve e divertido e sinto que esse livro vai suprir hahaha
    Adorei, não conhecia. Fora essa capa que está linda, né?

    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*