sábado, 21/04/2018
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “O livro das sombras”, de Philip Pullman

Resenha: “O livro das sombras”, de Philip Pullman

O livro das sombrasLivro: O livro das sombras
Autor: Philip Pullman
Editora: Suma de Letras
Páginas: 434
Tradução: José Rubens Siqueira
Resenha por: Lais Baptista
Comprar: Amazon

Phillip Pullman volta ao mundo da trilogia Fronteiras do Universo, para outra aventura eletrizante envolvendo daemons, aletiômetros, o Magisterium e, claro, o Pó.
La Belle Sauvage é o primeiro volume de uma nova trilogia chamada O Livro da Sombras, e se passa dez anos antes dos acontecimentos de A Bússola de Ouro, se centrando em Lyra e Pantalaimon, ainda bebês.
Apesar de ser uma história diferente, os fãs de Fronteiras do Universo vão reconhecer muito do mundo e dos personagens que povoam La Belle Sauvage. Enquanto o protagonista, Malcolm, se envolve em uma assustadora aventura para tentar salvar a pequena Lyra das garras do Magisterium, outros mistérios e vilões surgem para complementar a trama que já conhecemos tão bem.

“Sempre quis contar a história de como Lyra acabou morando na Faculdade Jordan. Este livro e o próximo cobrem dois momentos da vida dela: partindo bem do início e retornando vinte anos depois. Quanto ao terceiro livro, ainda é segredo.” – Phillip Pullman

Fronteiras do Universo sempre foi uma das minhas séries preferidas. Ao contrário de Harry Potter, que eu dividia com amigos presenciais e online, os mundos de Lyra e Will e seus daemons sempre ficaram meio que guardados no meu coração. Eu não via as pessoas surtarem pela série então ela acabou se tornando uma coisa querida só minha. Isso quer dizer que desde que começaram os rumores sobre O Livro das Sombras (e tem muitos e muitos anos isso) eu aguardei ansiosamente. Quando foi oficialmente anunciado que ia sair não só um livro, mas três, eu quase dei cambalhotas de emoção. Hoje eu sei que a série é muito querida por muitos, mas achei melhor dar essa introdução de como estava meu estado de espírito ao começar esse livro.

Pullman tem a capacidade de escrever protagonistas cativantes, mesmo quando não deveriam. Digo isso porque Lyra, a protagonista de Fronteiras do Universo é uma criança bem respondona, mimada e brigona. Mas impossível de não amar. Já Malcolm, o protagonista de La Belle Sauvage, é uma criança maravilhosa. Ele é inteligente, esperto, curioso, gentil e num geral fantástico. La Belle Sauvage é narrado sob o ponto de vista de Malcolm, então essa capacidade de gostar dele pra mim é muito importante pra aproveitar a leitura.

A outra protagonista da história veio bastante de surpresa. Durante metade do livro, vemos as aventuras de Malcolm interagindo com adultos, mas quando o bicho pega e a ação começa pra valer, uma aliada inesperada aparece na figura de Alice. Alice já tinha sido apresentada antes no livro, mas eu achava que seu papel já tinha terminado. Fiquei surpresa e feliz, porque Alice é muito bem construída mesmo tendo destaque só na segunda metade da história. Apesar de a vermos sob a ótica de Malcolm, é possível ler escondido no texto coisas que Pullman quis mostrar mesmo que Malcolm não entendesse, conflitos de uma adolescente pobre, esperta e carinhosa. E esse subtexto deixa a história mais interessante.

A cidade de Oxford é, mais uma vez, uma personagem por si só. Philip Pullman estudou e mora na cidade e em todas as descrições é possível sentir o amor dele por lá. Mesmo com as adaptações do mapa para se encaixar no mundo imaginário dele, tudo é bastante fiel à cidade real. E não precisa de muito tempo na leitura para lembrar de todas as descrições feitas em A Bússola Dourada/ de Ouro e facilmente se situar no mapa.

Esse livro é muito mais político do que os livros de Fronteiras do Universo. Malcolm logo se envolve com organizações bem maiores que ele pode imaginar. Algumas dessas a gente reconhece do passado (ou futuro, dependendo do ponto de vista), mas outras são novas. Assim como os integrantes desse jogo de espionagem, que também contém velhos conhecidos. A trama política é muito interessante de ler, mesmo a gente já sabendo o final. É muito interessante ligar os pontos e ver como as coisas aconteceram. Mesmo dez anos antes dos acontecimentos de Fronteiras do Universo, as engrenagens já estão encaixadas para tudo que foi descrito naqueles livros, alianças já estão sendo feitas e perguntas já estão sendo perguntadas.

Eu achei a leitura super envolvente e quero colocar Malcolm num potinho. Tem um vilão assustador e realista (hey, cientista louco BEM LOUCO), amizades legais, crianças espertas, muita ação e uma Lyra bebê! Mal posso esperar para o próximo livro da série, mesmo sabendo que a história provavelmente vai ser bem diferente por se passar 20 anos depois desse livro.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Lais

Uma biomédica que ama livros, cupcakes e gatinhos. Pottermaníaca confessa, divide seu tempo entre internet, séries, cozinhar doces, eventuais atividades de geneticista e ficar espiando pelo canto do olho se sua carta de Hogwarts finalmente chegou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*