28 de January de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Notícias

O autor Affonso Solano confirmou em seu perfil do Facebook que o segundo volume de Espadachim de Carvão será lançado esse ano na Bienal Internacional do Livro no Rio de Janeiro.

Affonso também revelou o título do livro que é Espadachim de Carvão e As Pontes de Puzur. Há tempos os fãs esperavam pela continuação da história de Adapak.

Se você ainda não conhece a historia, clica aqui e leia nossa resenha do primeiro livro da série.



28 de January de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Resenhas

Livro: Luva Vermelha (#02)
Série: Mestres da Maldição
Autora: Holly Black
Editora: Rocco
Páginas: 368
Resenha por: Bruna Fernández
Comprar: Saraiva Cultura Fnac Folha Travessa Amazon

Cassel Sharpe nasceu em um clã de golpistas de primeiro time. O que os difere de outros vigaristas, no entanto, é que eles são capazes de operar maldições apenas com o toque dos dedos. Na continuação de Gata Branca, primeiro volume da bem-sucedida série Mestres da Maldição, o jovem Cassel já sabe que ele é um mestre da maldição muito poderoso. Recrutado pelos federais para ajudar a desvendar o assassinato de seu irmão mais velho, Cassel se vê entre a lei e a máfia, que sabe o quão valioso ele pode ser. Mas a quem ele deve recorrer se não pode confiar em ninguém – menos ainda em si mesmo?

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

“A magia nos dá muitas escolhas. (…) A maioria delas é ruim.” – p. 87

Uma das coisas que eu mais gosto nessa série da Holly Black é o fato de ela conseguir escrever uma história com um quê de paranormalidade sem fazer uso dos personagens que já estão batidos: anjos, vampiros, bruxas e etc. A série Mestres da Maldição também não tem os triângulos amorosos óbvios e dramas adolescentes. Não me entendam mal, isso tudo pode funcionar muito bem em uma história bem escrita… mas é revigorante se deparar com um enredo fora do padrão.

Na sociedade desse mundo criado por Black, todas as pessoas devem usar luvas pois algumas delas são Mestres de Maldição e podem manipular uma pessoa com um simples toque. O personagem principal é Cassel Sharpe, ele faz parte de uma família de mestres (e vigaristas) com relações com a máfia. Existem vários tipos diferentes de mestres e Cassel é um dos mais poderosos e raros que existem.

Segundos livros em trilogias costumam decair em qualidade, funcionando apenas como uma ponte para o desfecho da história no terceiro volume, mas isso não acontece com Luva Vermelha. Nesse volume Cassel precisa lidar com os resultados de suas ações em Gata Branca, principalmente com o assassinato de um dos seus irmãos mais velhos, Phillip. Isso deixa Cassel preso em uma perigosa teia entre o FBI e a máfia enquanto ele tenta descobrir quem matou seu irmão.

“Todo mundo quer sair com dignidade de um problema.” – p. 153

O legal do personagem de Cassel é que ele não é o herói perfeito, pelo contrário. Ele cresceu em uma família de vigaristas que tem uma longa história de cooperação com os chefões da máfia e tem uma mãe nada convencional. Apesar de tudo isso, ele tem plena consciência de seus erros, mas fica fácil ceder à tentação quando se tem poderes para poder contornar uma situação, não é mesmo?! E apesar de viver cheio de problemas ele não é típico adolescente revoltado ou reclamão.

Fiquei a leitura toda tentando imaginar como seria viver em um mundo como esse, ter poderes de alterar algo ou alguém apenas com as pontas dos dedos e onde tirar as luvas é considerado um crime horrendo. Obrigada, Holly Black por criar um universo tão único e com personagens tão verossímeis que não caem dos clichês literários. Com tanto estúdio comprando direitos de livros para adaptação, não entendo como ainda não houve interesse nessa trilogia.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.



27 de January de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Notícias

Conheça a capa de After – Depois da verdade, segundo livro da série de Anna Todd que chega nas livrarias brasileiras em março pela Paralela.

Depois de bater a marca de um bilhão de acessos na plataforma de leitura Wattpad, a série After vira o novo fenômeno editorial. No segundo livro, Tessa tenta esquecer Hardin, o jovem caótico e revoltado que partiu seu coração em vários pedaços. Mas ela está prestes a descobrir que alguns amores não podem ser superados. Como apagar da memória as noites apaixonadas em seus braços, ou a eletricidade de seu toque? Hardin sabe que cometeu o pior erro de sua vida ao ter magoado Tessa tão profundamente. Ele não acha que merece tê-la de volta, mas se recusa a deixá-la partir. Neste livro, Hardin vai lutar com toda a sua força para reconquistar o grande amor da sua vida. Ao longo do caminho, os seus mais profundos segredos serão revelados. Depois da verdade, será que o amor de Tessa e Hardin resistirá?

Fonte: After Brasil



27 de January de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Notícias

A Galera Record liberou esses dias a capa brasileira de Reboot, primeiro livro da série homônima, escrito pela texana Amy Tintera.

Nessa nova distopia, lançada no meio do ano passado nos Estados Unidos, uma parte da população do Texas foi dizimada por um vírus, porém as pessoas infectadas começaram a retornar da morte: os então chamados Reboots. Quanto mais tempo uma pessoa fica morta, menos traços de humanidade ela apresentava ao voltar à vida. Confira a capa e o booktrailer abaixo:

Como anda acontecendo com frequência, os direitos da série já foram adquiridos pela Fox 2000. Reboot deve ser lançado pela Galera Record em março.



26 de January de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Notícias

Estreiou na semana passada no canal inglês BBC Two a minissérie Wolf Hall, baseada no livro homônimo escrito por Hilary Mantel e ganhador do Man Booker Prize de 2009.

Com apenas seis episódios e estrelada por Damian Lewis no papel de Henrique VIII, Mark Rylance como Thomas Cromwell e Claire Foy como Ana Bolena, Wolf Hall se passa na Inglaterra da década de 1520, que está a um passo do desastre. Sem herdeiros, Henrique VIII deseja anular seu casamento e desposar Ana Bolena, salvando assim o país da guerra civil. Porém, a saga em busca da liberdade do rei destrói seu conselheiro, o brilhante Cardeal Wolsey, e deixa um vácuo de poder. É nesse cenário que Thomas Cromwell, gênio político e sedutor, rompe todas as regras de uma sociedade rígida em sua ascensão ao poder, e se prepara para quebrar outras mais. Confrontando o parlamento, as instituições políticas e o papado, ele está pronto para remodelar a Inglaterra segundo seus próprios desejos e os do rei, mas sabe que um único erro seu pode significar a morte.

Confiram o trailer abaixo:

O último livro da trilogia Thomas Cromwell, da qual Wolf Hall é o primeiro volume, ainda não foi publicado, mas tem a previsão de sair ainda em 2015 na Inglaterra. No Brasil, a trilogia é publicada pela Editora Record.



22 de January de 2015
Postado por: Monique Marie @ Arquivado em: Resenhas

Livro: A vida como ela era
Série: Os últimos sobreviventes
Autor: Susan Beth Pfeffer
Páginas: 378
Editora: Bertrand Brasil
Resenha por: Monique Marie
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Folha Travessa Amazon

Quando Miranda começa a escrever um diário, sua vida é como a de qualquer adolescente de 16 anos: família, amigos, garotos e escola. Suas principais preocupações são os trabalhos extras que os professores passaram tudo por causa de um meteoro que está a caminho da Lua.

Ela não entende a importância do acontecimento; afinal, os cientistas afirmam que a colisão será pequena. Mas, mesmo assim, acredita que esse será um evento interessante a se observar, com binóculo, do quintal de casa.

Para surpresa de todos, o impacto da colisão é bem maior do que o esperado, e isso altera de modo catastrófico o clima do planeta. Terremotos assolam os continentes, tsunamis arrasam os litorais e vulcões entram em erupção. Em 24 horas, milhões de pessoas estão mortas e, com a Lua fora de órbita, muitas outras mortes são previstas. Os supermercados ficam sem comida, e Miranda e sua família precisam, então, lutar pela sobrevivência em um mundo devastado, onde até a água se torna artigo de luxo.

A Bertrand Brasil fez uma ação super interessante com vários blogs literários onde todos receberam o seu exemplar no mesmo dia e o LeS estava nessa também.

Falando sobre o livro em si: eu adoro páginas mais amareladas e grossas, ainda não descobri o porquê disso. A capa é bem legal e retrata o maior evento do livro, pontos para quem teve a ideia de deixar a Lua texturizada. Ponto que achei meio desnecessário é o lembrete que diz “Uma das melhores séries para os fãs de Jogos Vorazes”, não acho uma comparação válida, são duas séries completamente diferentes.

A Vida Como Ela Era nos apresenta a história de Miranda e sua família. São muitos personagens nas 375 páginas, alguns não aparecem o livro todo mas esse fato não diminui a importância que eles tem, como as amigas de escola Sammi e Megan, o astro da patinação Brandon, o namorado da mãe Dr. Elliot, a amiga da família Sra. Nesbitt, seu pai e sua madrasta Lisa e sua paixão, Dan. Os personagens que aparecem no livro todo são Miranda, sua mãe e seus irmãos Matt e Jonny.

A história começa com Miranda contando a expectativa que todas as pessoas ao redor do mundo tinham para o grande acontecimento do ano: o choque de um asteroide com a Lua que poderia ser visto a olho nu. Na rua de Miranda todos estavam para fora de suas casas quando o momento mais estranho aconteceu: ao chocar-se com a Lua o asteroide levou metade dela e a deixou mais próxima da Terra.

“Mas o céu não exibia mais a metade da Lua. Ela estava inclinada, na posição errada, como se estivesse minguante, e parecia maior, muito maior, maior que a Lua que nasce no horizonte, só que não estava nascendo. Ela estava no meio do céu, grande demais e visível demais. Era possível ver, mesmo sem o binóculo, detalhes das crateras que, antes, eu observava com o telescópio do Matt” – p. 29

A partir desse momento o mundo não seria mais o mesmo. Acontecimentos estranhos ocorrem em sequência, como se o mundo estivesse acabando: cidades sendo engolidas pelo mar, vulcões em erupção constante, tornados fora de época, geadas, tremores de terra entre outros. Como Miranda morava em uma cidade não afetada por maiores fatores da natureza, sua família achou melhor permanecer em casa e esperar por pronunciamentos oficiais que, como podem imaginar, não aconteceram. Falta de luz constante, chuvas em proporções épicas, histeria generalizada e então o livro te conta como uma família tenta sobreviver a todos os problemas possíveis e impossíveis e ainda lidar com o fato que de alguma forma o amanhã poderia não existir.

Basicamente essa é a história do livro e como é uma série composta por quatro volumes, nós não temos um final que explique tudo. Também adianto que muitos personagens morrem como é de se esperar (então cuidado com os ninjas cortadores de cebolas próximos à você, alto risco de suor pelos olhos). Por ser uma história contada em forma de diário eu achei que seria um tanto quanto chato de ler, errei feio. O livro flui e você quer terminar de uma única vez, você se pega fortemente torcendo para que alguns personagens consigam sobreviver, fugir para outras cidades e tentar recomeçar a vida.

A autora aproveita para nos mostrar e até nos fazer pensar até que ponto chegaríamos para sobreviver, quais seriam as pessoas que nos preocuparíamos de verdade, quais amigos fariam algo por você, o que o Governo faria, o que a Fé cega faria e será que pensaríamos em tudo e a longo prazo? Será que estaríamos prontos para perder alguém próximo? Para escolher quem sobreviveria da sua família? Para abrir mão da sua comida para que seu irmão coma? Para não ter condição básica para sobrevivência?

“Será que as pessoas percebem quanto a vida é preciosa? Sei que nunca percebi isso antes. Sempre havia tempo. Sempre havia um futuro. Talvez por não saber mais se terei um futuro, fico grata pelas coisas boas que aconteceram comigo neste ano. Eu nunca soube que poderia amar de modo tão profundo. Nunca soube que estaria disposta a sacrificar coisas por outras pessoas. Nunca soube que o gosto do suco de abacaxi poderia ser maravilhoso, assim como o calor de um fogão a lenha, o som de Horton ronronando ou a sensação de roupas limpas contra a pele recém lavada. Não seria Ano-Novo sem uma resolução. E a minha é reservar um momento, todos os dias, pelo resto de minha vida, para apreciar tudo o que tenho. Feliz Ano-Novo, mundo!”- p. 320

Desde que terminei esse livro só penso em ler os outros e cheguei a conclusão que não faria metade do que fizeram e provavelmente não passaria tanto tempo viva. Confesso que chorei em alguns momentos e que sentimentos verdadeiros nos ajudam a passar pelos piores momentos. Se eu indico o livro? Sim, sim e sim!


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.



22 de January de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Lançamentos

Livro: O reino secreto de Todd (#01)
Série: Todd
Autor(a): Louise Galveston
Comprar: Saraiva Cultura Travessa Amazon

COMO FOI QUE ELE SE TORNOU UM DEUS POR ACIDENTE?
INGREDIENTE A: meias esportivas muito usadas
INGREDIENTE B: imundicie do GRANDE e Poderoso TODD (em pessoa)!
INSTRUÇÕES: deixar embaixo da cama por meses e meses. NÃO ARRUMAR O QUARTO

Mas atenção! Quando o valentão da escola, Max Loving, coloca em risco o futuro da minúscula civilização toddliana, Todd terá que fazer tudo o que estiver ao seu alcance para salvar essa raça que ele mesmo criou sem querer.
Perfeito para os fãs de livros de aventura que saem da mesmice, O REINO SECRETO DE TODD vai fazer você rir bem alto. Descubra o que acontece quando você deixa a roupa suja jogada no chão…



22 de January de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Notícias

Hoje o site da Entertainment Weekly relevou a capa do terceiro livro da trilogia de Pierce Brown, Fúria Vermelha. O título do último volume é Morning Star (Estrela da Manhã, em tradução livre). Confira a capa abaixo:

Recentemente postamos a resenha de Fúria Vermelha, o primeiro livro da trilogia. A continuação, Golden Son, saiu esse mês nos EUA e deve chegar ao Brasil ainda no primeiro semestre pela Globo Livros.