29 de June de 2015
Postado por: Kinina @ Arquivado em: Eventos

No próximo dia 1º de julho, escritores e escritoras de diversas nacionalidades e estilos estarão em Paraty para a 12ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), que durante cinco dias faz da cidade colonial e de belas paisagens a capital da literatura.

Alguns autores que têm livros publicados pela editora Rocco estarão presentes: Sophie Hannah, considerada o principal nome da literatura policial contemporânea, ela apresenta o romance A vítima perfeita, sua estreia pela Rocco, e divide a mesa De frente para o crime com o cubano Leonardo Padura; já a multifacetada Karina Buhr leva para o evento sua coletânea de escritos e desenhos Desperdiçando Rima, lançamento do selo Fábrica231, e se apresenta ao lado de Arnaldo Antunes na mesa Desperdiçando verbo.

Além dos autores, a Rocco marca presença em Paraty também com uma casa para melhor receber escritores, colaboradores, jornalistas e o público em geral. A Casa Rocco ficará aberta de quinta-feira a domingo, a partir das 10h, e contará com uma programação cultural gratuita, com palestras e saraus. Confira abaixo a programação completa do espaço:

2 de julho (quinta-feira)
» 15h – As cores de Clarice: com a palavra os ilustradores Odilon Moraes, Suryara e Kammal João. Três ilustradores falam sobre suas interpretações dos textos infantis de Clarice Lispector.
» 17h – Literatura para nerds. Com Mariana Rolier (selo Fábrica231) e Nathan Fernandes (Revista Galileu). Um panorama atual e bem-humorado sobre quem é o público nerd brasileiro, suas influências literárias e de outras mídias (cinema, TV e internet) e as principais publicações desta área, além de curiosidades do atual mercado editorial.
» 19h – Dupla exposição: Projeção de fotos e debate com Paloma Vidal e Elisa Pessoa. Texto e imagem se combinam de maneiras inesperadas no livro desenvolvido pela escritora e crítica Paloma Vidal e pela fotógrafa Elisa Pessoa. As duas conversam sobre a relação entre as duas linguagens e o ‘work in progress’ de elaboração da obra.

3 de julho (sexta-feira)
» 11h – Hora de Clarice: Uma conversa sobre a obra A hora da estrela, de Clarice Lispector, coordenada pelo grupo #leiamulheres.

(Ler post completo)



29 de June de 2015
Postado por: Nina Lima @ Arquivado em: Resenhas

Adivinhe quem sou esta noite Livro: Adivinhe quem sou esta noite (#02)
Série: Adivinhe quem sou
Autora: Megan Maxwell
Páginas: 440
Editora: Essência/Planeta
Tradução: Valeria Lamin Delgado
Resenha por: Nina
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Americanas Amazon

A continuação da história da impetuosa Yanira, uma cantora espanhola, e do médico Dylan, um belo, rico e sedutor porto-riquenho, já começa com fortes emoções. Após ser atropelada pela “ex” de seu noivo — inconformada com a separação —, a protagonista dessa picante aventura entre a América e a Europa viverá um turbilhão de acontecimentos. Do casamento glamouroso, com direito à presença de astros da música pop americana, à sua estreia nos palcos do mundo como uma sensual cantora de soul music apadrinhada por um rapper famoso, nada será trivial e comum na vida de Yanira. Nem mesmo o ciúme que chacoalhará a união aparentemente perfeita que tem com Dylan. Para tentar conter os altos e baixos dessa relação conturbada e balançada pelo assédio da imprensa, ela e o marido buscarão na forte química sexual que existe entre eles — turbinada por fantasias eróticas vividas por Los Angeles e pelas cidades onde a cantora cumpre turnê mundial — um agente reconciliador e apaziguador de seus percalços conjugais. Será que eles conseguirão se entender? Ou a fama de Yanira se tornará um obstáculo para o recatado e enciumado Dylan?

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

#01 - Adivinhe quem sou

Essa resenha foi quase um parto para sair. Me vi várias horas pensando o que eu poderia escrever que fosse crítico, mas ressaltasse pontos interessantes da história. Eis o resultado.

Tirando as cenas picantes, altamente descritivas e bem elaboradas, a história de Yanira, 26 anos, metade espanhola, metade holandesa, poderia muito bem se encaixar numa personagem de 15 anos. Não que hoje em dia garotas de 15 anos não façam as coisas que Yanira faz com seu marido, Dylan (mas acho que os críticos não aprovariam um livro erótico com uma personagem de 15 anos). O caso é que a personagem é muito imatura, infantil, instável, como se fosse mesmo uma adolescente tentando se descobrir e explorar seus sentimentos. Eu entendo várias das atitudes dela, – em um livro da Meg Cabot, cuja boa parte dos personagens principais é adolescente, – mas o fato de Yanira ser uma mulher um bocado distante da adolescência, me faz sentir um pouco ofendida: é assim que as outras mulheres enxergam as mulheres de 26 anos atualmente?

A forma de pensar, a construção dos raciocínios e até a narrativa feita pela personagem, sugerem uma pessoa pouco perspicaz, e muito egoísta. Quando uma situação exige alguma reflexão, a forma mais madura de Yanira colocar as ideias em ordem é:

“Plano A: mando Coral à merda.
Plano B: tento convencê-la de que não dá.
Plano C: fico irritada.” – p. 282

E outra coisa que eu já havia falado na outra resenha, e só vou reforçar nessa, é a necessidade de se colocar trechos de música no meio da história, como se fosse uma fanfic. Desnecessário. Quero dizer, você não precisou de trilha sonora pra ler Harry Potter, nem mesmo Crepúsculo. Aliás, Crepúsculo até tinha menção de música, mas, me corrijam se eu estiver errada, não lembro de citações das letras (e eu confesso aqui que baixei Debussy quando estava lendo!). Mas meu ponto é: não faz diferença na história, então corta. Não é como se eu fosse ficar no youtube catando as músicas pra entrar no clima da história…

Além disso, toda a história dos livros 1 e 2 poderiam ser facilmente condensadas em 300 páginas, não fosse a enrolação que acontece em infinitas páginas, que fizeram, só nesse segundo volume, encher 440 páginas. É bem desestimulante quando você espera para algo acontecer e isso demora 300 páginas. Ou quando acontece algum fato relevante da história a cada 60 ou 70 páginas.

Quando eu li o plot da série, achei que a personagem seria uma mulher forte, madura, bem resolvida, e até dei crédito para os primeiros capítulos do primeiro livro, quando ela termina com o namorado que ela tinha por comodidade, entra por curiosidade numa casa de swing, achei que dali pra frente seria uma descoberta mais profunda da sexualidade dela, mas não. A história caiu no “mais do mesmo” do romance água com açúcar, da menina que se apaixona pelo bonitão misterioso – e eles fazem muito sexo. Fiquei meio decepcionada que essa parte, que era a essência foi perdida, virou pano de fundo para mais um romance não muito bem escrito.

No mais, foi uma leitura bem difícil, enfadonha, me custou muita paciência para chegar ao final. Eu acho bem difícil apostar o meu tempo num terceiro volume.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.



29 de June de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Lançamentos

Livro: O cálice de sangue (#03)
Série: Crônicas do Rei Artur
Autor: M. K. Hume
Tradução: Heloísa Mourão
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Americanas Travessa Amazon

Tudo será perdido ou Artor conseguirá reconquistar o poder antes que seja tarde demais?

Após governar o povo do ocidente por décadas como Alto Rei dos bretões, Artor deve se preparar para enfrentar seu mais perigoso inimigo: a morte. Agora um homem idoso, o rei da Britânia precisa encontrar formas de manter seu legado vivo junto a uma nova geração de nobres que não compartilha de seus princípios e ideais.

Mas os planos de Artor logo são ameaçados pela visita de um homem peculiar ao Tor de Cadbury: Modred, rei dos brigantes e sobrinho de Artor, filho bastardo de sua irmã Morgause. Charmoso e elegante, Modred se infiltra entre os membros da corte, plantando a semente da discórdia que ameaça lançar por terra todos os avanços conquistados pelo rei ao longo dos anos. Enquanto isso, Gawayne, um dos mais leais cavaleiros de Artor, sucumbe à tentação e se submete aos prazeres de Miryll, a jovem senhora da ilha de Salinae Menor. Gawayne, porém, desconhece as verdadeiras intenções de sua nova amante. Unindo-se aos pictos, uma tribo pagã que há muito tempo foi expulsa de suas terras, Miryll planeja encontrar um cálice com supostas propriedades divinas e, com ele, destronar Artor.

Em meio a todos esses problemas, enfrentando ameaças do passado, o Alto Rei dos bretões precisará tomar decisões difíceis para manter viva sua lenda.

Livro: A cor do prazer (#04)
Série: 80 dias
Autora: Vina Jackson
Tradução: Ryta Vinagre
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Americanas Travessa Amazon

O desejo tem mais tons que apenas o cinza.

Quando se muda para Nova York, a dançarina Luba se apaixona por Chey, um belo e enigmático negociante de peças de âmbar, que a envolve num turbilhão de romance, paixão e mistério. No entanto, a jovem não consegue entender as repentinas e inexplicáveis viagens de trabalho de seu amado e, apesar de ambos saberem que possuem uma conexão única e avassaladora, a turbulenta relação do casal chega ao fim quando ela descobre que o sedutor Chey guarda um grande segredo.

Luba então embarca em uma jornada de autoconhecimento, vivendo experiências emocionantes e libertadoras em sua carreira de dançarina internacional, passando por clubes particulares de dança em Nova Orleans e por Londres, onde visita a mansão de Viggo Franck, uma exótica estrela do rock. E, por intermédio dele, Luba conhece Summer, uma provocante violinista de cabelos de fogo, Dominik, seu envolvente companheiro, e Lauralynn, uma mulher com desejos ardentes e obscuros.

Mas a nova vida e as recentes companhias de Luba conseguirão afastar de seu coração, e de seu corpo, as lembranças de seu amado bad boy?

A editora ainda conta com lançamentos que não fazem parte de séries, para vê-los, clique no link abaixo.

(Ler post completo)



29 de June de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Lançamentos

Livro: Minha Vida Fora de Série – 3ª temporada (#03)
Série: Minha Vida Fora de Série
Autora: Paula Pimenta
Tradução:
Comprar: Saraiva Travessa Amazon

Três anos se passaram desde a 2ª temporada de Minha vida fora de série. Priscila, agora com 19 anos, percebe que tem que deixar a adolescência para trás e começar a lidar com as responsabilidades da vida adulta: o namoro com Rodrigo, cada vez mais sério; o início da faculdade, que ela ainda tem dúvidas se escolheu a certa; as novidades na família, que mais uma vez transformam seu cotidiano. Mas, como nos seriados que tanto ama, ela também vai passar por muitas reviravoltas e confusões, e descobrir que alguns acontecimentos de episódios passados podem afetar os atuais. Não perca mais esta temporada imperdível da vida fora de série de Priscila.

Livro: Entre o amor e a vingança (#01)
Série: O clube dos canalhas
Autora: Sarah MacLean
Tradução: Cássia Zanon
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Americanas Amazon

O que um canalha quer, um canalha consegue… Uma década atrás, o marquês de Bourne perdeu tudo o que possuía em uma mesa de jogo e foi expulso do lugar onde vivia com nada além de seu título. Agora, sócio da mais exclusiva casa de jogos de Londres, o frio e cruel Bourne quer vingança e vai fazer o que for preciso para recuperar sua herança, mesmo que para isso tenha que se casar com a perfeita e respeitável Lady Penélope Marbury.

Após um noivado rompido e vários pretendentes decepcionantes, Penélope ficou com pouco interesse em um casamento tranquilo e confortável, e passou a desejar algo mais em sua vida. Sua sorte é que seu novo marido, o marquês de Bourne, pode proporcionar a ela o acesso a um mundo inexplorado de prazeres. Apesar de Bourne ser um príncipe do submundo de Londres, sua intenção é manter Penélope intocada por sua sede de vingança – o que parece ser um desafio cada vez maior, pois a esposa começa a mostrar seus próprios desejos e está disposta a apostar qualquer coisa por eles…

…até mesmo seu coração.

A editora ainda conta com lançamentos que não fazem parte de séries, para vê-los, clique no link abaixo.

(Ler post completo)



28 de June de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Lançamentos HQ

Livro: Uma metamorfose iraniana
Série: Une métamorphose iranienne
Autor: Mana Neyestani
Tradução: Fernando Scheibe
Comprar: Saraiva Cultura Travessa Amazon

O pesadelo de Mana Neyestani começa em 2006, quando ele desenha uma conversa entre uma criança e uma barata no suplemento infantil de um jornal iraniano. O inseto utiliza uma palavra azeri, e os azeris, povo de origem turca do norte do Irã há muito oprimido pelo regime central, se sentem provocados. Para alguns deles, o desenho de Mana é o estopim que faz inflamar os ânimos e um excelente pretexto para desencadearem um levante. O regime de Teerã precisa de um bode expiatório, e Mana e o editor do jornal são detidos e mandados para a prisão 209, uma seção não oficial da prisão de Evin, sob a administração da VEVAK, o Ministério da Inteligência e da Segurança Nacional. Ao termo de três meses de detenção, Mana obtém alguns dias de liberdade provisória. É então que decide fugir com sua mulher.
Comovente e perturbador, Uma metamorfose iraniana é um mergulho em apneia no sistema totalitário kafkiano instaurado pelo regime iraniano.



28 de June de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Lançamentos Infantis

Livro: Jornada
Autor: Aaron Becker
Tradução:
Comprar: Saraiva Submarino Americanas Travessa Amazon

Livro infantil que ficou por seis meses entre os mais vendidos do New York Times.

Uma menina solitária desenha uma porta na parede do quarto e, através dela, escapa para um mundo mágico cheio de encanto, aventura e perigo. Com uma caneta vermelha, ela cria um bote, um balão e um tapete voador que a carregam em uma espetacular jornada a um destino incerto. Porém, quando ela é capturada por um sinistro imperador, somente um ato de tremenda coragem e bondade pode libertá-la. Poderá esse ato também levá-la de volta para casa e até onde seu coração deseja?



28 de June de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Lançamentos

Livro: Bandidos
Autor: Eric j. Hobsbawn
Tradução: Donaldson M. Garschagen
Comprar: Cultura Travessa Amazon

Um livro considerado o ponto de partida dos estudos contemporâneos sobre a história do banditismo.

Em quase todo o mundo há relatos, narrativas orais e escritas, e músicas sobre eles. Encantadores e assustadores, os bandidos são fonte para um forte e contraditório imaginário sobre o poder, a violência e a justiça popular. Os “fora da lei” são a representação de uma recusa individual às forças sociais e à autoridade, mas ainda assim, muitas vezes, encontram na sociedade reconhecimento e proteção.

O banditismo é considerado uma das formas mais primitivas de protesto social organizado. Mas “de que modo o elemento social do banditismo, que defende os fracos contra os fortes, os pobres contra os ricos, os que buscam justiça contra o governo dos injustos, se enquadra na história política do banditismo, que faz dos bandidos homens poderosos atraídos para o universo do poder?” Esta é a pergunta central do livro, que procura definir quais fatores políticos, econômicos e sociais favorecem que a existência de alguns “fora da lei” se transforme em movimento e, em certos contextos, em verdadeira endemia. O livro Bandidos é a bibliografia básica, o ponto de partida para aqueles que se interessam por conhecer esse fenômeno a partir de um ponto de vista mais complexo que o nosso senso comum costuma estabelecer.

Livro: A invenção das tradições
Autor: Eric J. Hobsbawn
Tradução: Celina Cardim Cavalcante
Comprar: Saraiva Cultura Travessa Amazon

Um ensaio de linguagem acessível, organizado por um dos maiores historiadores do século XX.

A invenção das tradições é organizado por Eric. J. Hobsbawn e Terence Ranger e reúne textos de renomados historiadores internacionais. São ensaios críticos sobre hábitos ou comportamentos que, por motivos variados, passam a ser absorvidos em algumas sociedades como se fossem heranças culturais, quando na realidade foram criadas mais recentemente com objetivos que serviam aos Estados.

O primeiro capítulo apresenta com clareza a distinção entre costume e tradição, fundamental para a compreensão dos fenômenos apresentados nos ensaios seguintes.

Os textos abrangem as culturas ocidentais em seus diversos aspectos e ajudam a compreender como mudanças são fenômenos naturais em todas as sociedades, mesmo as mais tradicionais. Por outro lado, problematiza a condição das sociedades contemporâneas, que quando rompem com determinadas tradições acabam perdendo certos modelos de comportamento importantes para a organização social.

Sendo desenvolvido por historiadores, o estudo possui uma dimensão multidisciplinar e se apresenta como um convite a pesquisadores que se interessem em ampliar a discussão para outras áreas da ciências humanas. Um trabalho erudito e rigorosamente bem-pesquisado, mas desenvolvido com fluidez e clareza.

Livro: Brizola
Autores: Clóvis Brigagão, Trajano Ribeiro
Tradução:
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Americanas Travessa Amazon

Um livro que mostra para as novas gerações o lugar de Leonel Brizola na política brasileira.

Revivendo grandes momentos da história de Brizola, conseguimos entender o quanto foi fundamental a sua dedicação ao Brasil. Autor de pérolas como “estou pensando em criar um vergonhódromo para políticos sem vergonha” ou “Sou como uma planta no deserto, basta uma única gota de orvalho para me alimentar”, Brizola foi o único político que conseguiu se eleger governador em dois estados: Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. Resistiu à ditadura militar e teve uma imprescindível participação no processo de redemocratização do país.

Ao seu lado nessa trajetória estiveram Clóvis Brigagão e Trajano Ribeiro, que agora revisitam seus baús repletos de memórias para contar fatos curiosos da vida política do gaúcho. São pontos de vista de dois companheiros que acompanharam de perto cada detalhe do retorno de Brizola ao Brasil e estiveram juntos na trajetória daquele que até hoje permanece no inconsciente coletivo de muitos brasileiros como um verdadeiro mito.



28 de June de 2015
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Lançamentos

Livro: Camaradas – Uma história do comunismo mundial
Autor: Robert Service
Tradução: Milton Chaves de Almeida
Comprar: Submarino Cultura Americanas Travessa Amazon

Do autor de Lenin: A biografia definitiva, a organização e a ideologia do comunismo no mundo.

Em Camaradas, Robert Service inicia sua análise crítica com Karl Marx e Vladimir Lenin, passando por Mao Tsé-tung, Fidel Castro e vários outros protagonistas de acontecimentos mundiais decisivos, oferecendo ao leitor um verdadeiro panorama da história do comunismo mundial. Sem se restringir apenas a discorrer sobre a política das altas esferas de poder dos regimes, Service apresenta também as condições sociais que levaram milhões de pessoas a apoiar o comunismo em muitos países.

Na sequência, ao realizar uma acurada investigação acerca dos regimes de longa duração (como o da extinta Iugoslávia e o de Cuba) e abordar o fracasso de algumas revoluções comunistas (como a da Hungria, em 1919, e a dos ineficientes partidos comunistas dos Estados Unidos), seu estudo crítico esmiúça as ligações internacionais que conectam centenas de organizações até os dias atuais.

Mais de duas décadas após o colapso do comunismo na Europa oriental e na extinta União Soviética, Robert Service abraça a tarefa de examinar essa doutrina econômica e sociopolítica. Baseando-se em ricas e fidedignas fontes de informação, inclusive com novos documentos, o autor nos apresenta uma visão humanizada sobre o assunto, bem como um resumo crítico do fenômeno comunista global.