quinta-feira, 23/09/2021
Últimas do LeS:
Capa » Especial Bienal » Especial Bienal – Como foi o segundo final de semana!

Especial Bienal – Como foi o segundo final de semana!

Segundo final de semana da bienal. E o que aconteceu? Muita coisa!
Como não fiz post separado para falar de sábado e domingo, vou separar aqui e espero que fique legal.

No sábado, a primeira coisa que fiz foi ir no Conexão Jovem com a Lauren Kate. A moça é uma fofa! Estava com um vestido lindinho, era toda sorrisos e foi simpática com todos. A sessão foi muito legal e as perguntas foram (quase) todas interessantes. Assim que legendarmos, vamos colocar o vídeo no youtube (sim, eu filmei tudo), mas alguns pontos interessantes foram:

* Lauren disse que a série Fallen é só uma história de amor. Pra ela amor é a coisa mais importante. “Sempre escrevi sobre amor, e por causa disso meus anjos são como pessoas normais. Eu me inspirei em um trecho do Velho Testamento, que dizia: “Os anjos viram as mulheres mortais e se apaixonaram”.”
* No início da divulgação do livro, ela disse que as pessoas que não eram adolescentes pediam desculpas por não o serem e estarem lá, mas depois isso acabou.
* “Na maior parte dos lugares que fui divulgar meus livros, nos EUA e na Europa, as pessoas diziam: gosto muito da sua história, mas não acredito nela, é uma boa história, mas é uma história. Aqui no Brasil vocês esquecem isso, vocês abraçam a história por completo, não se importam se ela é verdade ou não”.
* O personagem Cam foi inspirado no marido dela. Lauren disse que não sabia o quão perigoso era fazer o vilão do livro inspirado no seu marido. Falou que se apaixonou mais pelo Cam do que deveria como escritora. Ela também mencionou que sempre que escreve cenas do Cam, conversa com seu marido sobre elas e ele muitas vezes corrige alguma ação do Cam dizendo que ele nunca agiria de tal forma ou diria tal coisa.
* “No próximo livro vocês vão ver porque Daniel se apaixonou por Luce, ela vai descobrir onde eles se conheceram”. UHUUUL!
* Ela disse que o melhor conselho que já recebeu sobre escrever livros foi sempre terminar o seu rascunho, só para saber que você é capaz. Também disse que sempre que está terminando o primeiro rascunho de seus livros, acha que eles são horríveis e que ninguém vai querer lê-los, mas que esse sentimento melhora ao longo da revisão.
* Falando em revisão, na opinião da escritora, ela é a melhor amiga de qualquer escritor.
* Antes de escrever Fallen, ela escreveu um outro livro, sobre um casal. Mas quando terminou, viu que a história não acrescentava nada, só girava em torno deles e do amor deles. Ela acha que “uma boa história de amor tem que ser grande. E um anjo que abre mão de tudo é uma grande história”.
* Ariane era a personagem preferida de Lauren quando ela começou a escrever a série, mas atualmente são Luce e Daniel. “Mas isso pode mudar enquanto escrevo Rapture”.
* Lauren vendeu os direitos da série para a Disney por confiar que o estúdio vai fazer um bom trabalho. Ela não vai participar da seleção do elenco, mas quando perguntada sobre quem escolheria, disse que o Cam ideal para ela seria Ed Westwick. Ela preferiria que algum ator desconhecido fizesse o Daniel, para crescer com personagem”.

Lembrando que ainda vamos legendar o painel para vocês.
Enquanto a Lauren ia para o estande da Record autografar (e muitos fãs já estavam lá na fila), eu fui passear, afinal, olha como estava só a parte final da fila…

Fui passear na bienal e tirar fotos dos estandes por lá. Também aproveitei e fui na Maré de livros, que era uma ideia MUITO legal, mas a parte mais legal era o final, que era mais interativo. Uma mesa com botões de emoticons que, ao serem apertados, formavam frases na tela em frente. No vídeo abaixo dá pra entender melhor:

Nessa hora, a Thalita Rebouças estava autografando na Rocco. Eu juro que tentei tirar uma foto dela, mas aonde a Thalita vai, multidões se formam e estava impossível. Quem mandou ela ser tão simpática com os fãs?

A escritora Rachel Caine, criadora da série Os Vampiros de Morganville também estava lá na Bienal, no estande da Editora Underworld. Ela é muuuito simpática. No sábado eu pedi para ela autografar um marcador de livros que vamos sortear aqui no site para vocês.

Um pouco depois, começou um evento no estande da Intrínseca para os semi-deuses de plantão. Tinha gente por todo o corredor em frente ao estande, causando engarrafamentos. Mas todos que passavam por ali paravam para ver porque tinha tanta gente de camisa laranja.

No estande ao lado, na Novo Século, a escritora Jessica Brody autografava seu livro. Nem vi que tinha primeiro capítulo sendo distribuído, senão teria pegado autógrafo dela também.

E em outro pavilhão, outra escritora nacional causava filas e engarrafamentos, Paula Pimenta, escritora de Fazendo meu filme e Minha vida fora de série estava com uma fila gigante de fãs. Ela parou rapidinho para tirar uma foto pro Les.

Uma coisa da bienal que achei muito legal foi o estande do submarino onde podíamos “testar” três marcas diferentes de tablets. A Bienal desse ano colocou bastante destaque nessa “concorrência” do livro digital com o livro impresso. A minha opinião? Os dois podem viver muito bem lado a lado.

Depois de passear por toda a bienal, voltei pro estande da Record, onde conheci a fofinha da Lauren e tirei foto com ela. =D

E não foi só a gente que gostou de conhecer a Lauren, ela twittou sobre a bienal.

No domingo, teve piquenique!!! O Let’s Talk foi gravado com participações especiais e comidinhas que a linda da Patoka levou. (L)

Depois, Conexão Jovem com o Eduardo Spohr. Eu cheguei um pouco atrasada, e fiquei MUITO triste que perdi a chance de filmar a cena que aconteceu logo que entrei. O Spohr perguntou à platéia quem jogava RPG e, sem brincadeira, 95% levantou a mão juntinho. Foi bonito.

Algumas das coisas que o Eduardo Spohr falou que eu achei mais interessante foram:
* Spohr falou que os anos jogando RPG ajudaram na construção do universo do livro e seus personagens.
* Na opinião do autor, criar é fácil, o difícil é escrever. Não adianta ficar só no plano das ideias, tem que colocar a mão na massa.
* Ele pesquisou muito sobre o assunto antes de começar a escrever. Na verdade, ele sempre se interessou por isso, desde a época de escola.
* “Se você faz um livro que o início é bom e o final é péssimo, não dá certo”
* Um leitor perguntou o quanto os humanos influenciam os anjos no universo de Spohr, ele respondeu que influenciam um pouco, mas está tudo relacionado ao livre-arbítrio. Na mitologia ele não é bem explicado. Na opinião do escritor, o fato de os anjos não o terem é que não podem escapar de suas naturezas.
* Ele tem um “Dicionário dos Anjos”, de onde tira ideias para os nomes de personagens, alguns são adaptados de acordo com a personalidade.
* O autor gostaria que tivesse um RPG e até mesmo HQ dos livros, mas dá prioridade a escrever a saga, já que teria que parar e dar sua atenção para isso. Ele disse que só confiaria para ser feito se ele estivesse na organização vendo de perto.

Achei muito legal a atenção que o autor deu a todos os fãs. Fez questão de perguntar o nome de todos que fizeram perguntas e selecionou na platéia os que se destacavam (levaram pôsteres da primeira edição do livro, sabres de luz, leques…)

Depois, achei (finalmente!) a máquina que mostrava como os livros são digitalizados. Infelizmente, ela não estava ligada na hora, mas deu pra ter uma ideia de como funciona.

Vi o Mauricio de Sousa autografando, cheio de crianças e não-tão-crianças em volta (bienal passada peguei um autógrafo dele, e ele desenhou a Magali pra mim!).

No final, indo embora, passei pelo estande da Underworld, que era pertinho da saída e lá estava a fofa da Rachel Caine. Pedi e ela concordou em gravar um vídeo pros leitores do Livros em Série.

Aliás, ela viciou nas sapatilhas da Melissa, se quiserem mandar um presente pra ela já sabem, né? E isso foi um pouquinho do meu final de semana cobrindo a bienal pro Les. Cansou mas já estou com saudades.

Por Laís Baptista!

Sobre Lais

Uma biomédica que ama livros, cupcakes e gatinhos. Pottermaníaca confessa, divide seu tempo entre internet, séries, cozinhar doces, eventuais atividades de geneticista e ficar espiando pelo canto do olho se sua carta de Hogwarts finalmente chegou.

3 comentários

  1. Realmente essa Bienal foi inesquecível *–*
    Fui no dia 7 com minha “Trupe” mais para comprar alguns dos livros que tanto queria :D e fui dia 11 porque além de ser o último dia (quero mais… :\) o Eduardo Spohr estaria lá e eu não poderia perder *—* Só não pude ir no Conexão Jovem devido ao horário, mas pude conhece-lo, ele autografou meus dois livros (ABdA e Filhos do Éden *–*) e tirei foto com ele também, então valeu super a pena *——*
    Agora é esperar ansiosamente pela próxima ^^

  2. bienal foi ótima, deu pra comprar vários livros.
    UHUUUUUUUUUUL! /vejalimpeza

    e olha eu ali na foto com a lauren kate! :D
    e no vídeo tbm!
    estou popular no LES. hahaha (ou melhor EHEHEHE)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.