segunda-feira, 18/10/2021
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » RESENHA DE FILME: “John Carter: Entre dois Mundos”

RESENHA DE FILME: “John Carter: Entre dois Mundos”

Rolou no dia 2 de março de manhã no Shopping Market Place em São Paulo a cabine do filme John Carter: Entre Dois Mundos, e é claro que se tratando de um filme baseado em uma série de livros, a Karol aqui do Livros em Série resolveu dar uma espiada e dizer o que achou de tudo isso.

Com sinceridade, eu sabia que esse filme existia, pois vi o trailer algum dia, mas não me interessei muito pela história. Achei que não tinha muito a minha cara, mas sendo uma quase cinéfila, quando apareceu a oportunidade de ver o filme e fazer uma resenha não pensei duas vezes. Fui sem saber nada antes de assistir, preferi assim! Não quis saber do que se tratava a estória e nem se tinha alguma coisa a ver com o livro, tudo isso para ver se ia entender o filme de primeira e se é um bom entretenimento para os que nunca terão a mínima idéia de que se trata de um filme baseado em um livro.

Entendi tudinho. E melhor, gostei! Cheguei em casa, fui fazer a minha lição de casa e descobri que o livro, na verdade, é uma série de contos publicados em 1912 e que em 1917 todos esses contos foram reunidos e formaram o primeiro livro da série, intitulado ‘Uma Princesa de Marte’. Depois, a série continuou e foram lançados 10 livros, nem todos com o personagem principal, John Carter. Em 1939 John Carter virou quadrinhos na revista The Funnies e em 1977 foi relançado pela Marvel em 28 edições.
Agora sobre o filme: É feito para lotar salas de cinema e vender bastante. Apesar da premiada equipe por trás da produção, ele não é do tipo que foi feito na esperança de ganhar um prêmio ou que dê a oportunidade de um ator se destacar a ponto de virar um queridinho de todos os diretores. É um filme americano blockbuster que você fica atordoado com os efeitos especiais e com a loucura que é a estória.

Ele começa mostrando o ‘quase’ final. Você sabe que John Carter é um homem rico que mora em Nova Iorque no final do século XIX e que alguma coisa está atrás dele. Três segundos depois você descobre que ele morreu e é ai que começa a estória de como ele foi parar em Marte. Sem lançar nenhum spoiler, assim que ele chega a Marte, percebe que o planeta está passando por uma guerra, três cidades diferentes lutam pelo poder e tentam o salvar do seu quase inevitável fim. Sendo um veterano da Guerra Civil Americana, e com um passado que o persegue, John Carter prefere não se meter nessa briga e nem tomar partido por um lado, apesar de saber que pode ajudar. Ele começa a busca de como voltar para a Terra e conta com a ajuda da Princesa Dejah, de Sola e de um cão-lagarto muito fofo chamado Woola.

O filme tem muita ação, luta e efeitos especiais. Mas para os que procuram também uma boa estória, tenho certeza que no final vocês vão ficar de boca aberta e pedindo mais, assim como eu fiquei.

Curiosidades:
Alguns fatos que achei interessantes apesar de não diferenciar em NADA a resenha desse filme, mas é bacana dividir:
– Em 2012 o personagem John Carter completa 100 anos;
– O autor dos livros é Edgar Rice Burroughs, o criador do Tarzan;
– Em 1935 a Disney trabalhou em um projeto baseado no mesmo livro, e por pouco não foi o primeiro longa de animação norte-americano, antes mesmo de A Branca de Neve e os sete anões;
– As filmagens começaram em 4 de janeiro de 2010 em Londres, onde foram rodadas a maioria das cenas internas e das de Nova Iorque no século XIX. Depois disso a equipe foi para Utah, enfrentando um calor de quase 50 graus;
– Cinco meses depois do começo das gravações, a equipe encontrou um osso de dinossauro de quase 18 metros de altura. Hoje em dia especialistas escavam em busca de novos ossos;
– A tipografia antiga barsoomiana (marciana) esculpida nas paredes dos templos sagrados que aparecem no filme seguem os desenhos originais de marcas encontradas na superfície de Marte;

Deu mais curiosidade ainda de ver, né?! O filme estreia nos cinemas brasileiros dia 9 de março.

Sobre Cine

Jornalista e professora de inglês, vivendo o sonho de morar em Nova York e ainda tentando descobrir se seria possivel viver dentro de uma da Barnes and Nobles. Viciada em cultura, passa os dias tentando decidir que livros ler enquanto tenta se encontrar na vida.

4 comentários

  1. Parece realmente um filme interessante, mas não daqueles que você vai querer assistir mais de uma vez. Valeu pela dica!

  2. O cartaz do filme me lembrou o” Principe da Pérsia” e o” Retorno de Jedi”…otima resenha,deu vontade de assistir!

  3. Rose Ferreira

    Querida, adorei a resenha e a sessão “curiosidades” é ótima! Obrigada!

  4. o filme até que é bom…o cenario é legal e fica interessante a partir do momento em que a tecnologia entra em cena, a atriz lynn collins como sempre é linda demais; apesar de vermos a velha historia se repetindo: os “Therns”(lembra eternos)são seres de pele bem clara, que flutuam, estão em todos as formas e em todos os lugares, dominam a tecnologia e armas, dão o poder a outrem só de mentirinha, para garantirem o controle populacional e total sem serem notados; paracem até os “Iluminatti”; colocam 2 povos para brigarem entre si e após, forjam sua união, sei lá se são tipo europeus contra amerindios ou chineses, já que 1 dos lados são tidos como “peles vermelhas”; á margem do caminho estão outros povos, estes, selvagens ,de aspecto humanóide, porem, feios e com cor de pele “verde” lembrando os povos da África, a velha história se repete – mas o filme é bom…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.